Home > Notícias > Artigos
 

Constituição da base de perdas

Atenção, abrir em uma nova janela. PDF 

Escrito por Luiz Mello Ter, 19 de Janeiro de 2010

O Banco Central do Brasil tem sinalizado há algum tempo a necessidade das instituições financeiras sob sua supervisão de iniciarem a elaboração de suas Bases de Perdas oriundas de eventos classificados como de natureza operacional.

No comunicado 19.217 o Banco Central do Brasil reforça esta sinalização e aponta com maior clareza os tópicos que considera relevante na criação de uma Base de Perdas.

Embora grande parte das instituições financeiras e, consequentemente, o grupo econômico que as constitui não tenha ainda voltado sua atenção e dedicação a esta prática, num futuro bem próximo, este esforço poderá representar vantajosa compensação no momento em que se queira apurar, com modelagens próprias (modelos avançados), o requerimento de capital para risco operacional.

A sistemática atual de apuração deste requerimento de capital é padronizada e uniformemente aplicada de instituição para instituição. No entanto, o procedimento de elaboração nos moldes requeridos pelo Banco Central da Base de Perdas, constituirá requisito necessário para a utilização de modelos avançados de apuração da parcela POPR do Patrimônio de Referência Exigido (PRE). Independentemente da apuração do PRE, os relatórios extraídos com os dados da Base de Perdas podem constituir informações fundamentais para o gerenciamento de riscos das organizações. 

Para o desenvolvimento e instrumentalização de uma Base de Perdas, é altamente necessário que se tenha uma organização e tecnologia especializada para que o processo tenha sucesso, para tanto a utilização de sistemas se torna essencial e indispensável para uma boa elaboração de Bases de Perdas.

 

Página 9 de 9

<< Primeira < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Próxima > Última >>